Enchentes fazem economia de Caxias do Sul cair 7,2% no mês de maio

Os dados sobre a economia de Caxias do Sul, referentes ao mês de maio de 2024, revelam impactos negativos causados pela recente catástrofe climática no Rio Grande do Sul. Em comparação com abril de 2024, a economia local sofreu uma queda de 7,2%, afetando todos os setores: indústria: -7,6%; comércio: -5,5%; e serviços: -7,3%. Apesar dos números negativos, que já eram esperados, o resultado surpreendeu. “A expectativa inicial era de uma queda de dois dígitos em maio”, afirmou o diretor de Planejamento, Economia e Estatística da CIC Caxias Tarciano Mélo Cardoso.

Ao analisar os números de maio de 2024 em relação a maio de 2023, observou-se uma desaceleração no crescimento econômico. Embora o crescimento de dois dígitos tenha sido uma constante nos últimos meses, o índice agregado deste mês foi de 5,3%. Setorialmente, o desempenho foi positivo, com os serviços crescendo 8,9%, a indústria 4,1% e o comércio 3%.

A análise do acumulado do ano, comparando os primeiros cinco meses de 2024 com o mesmo período de 2023, mostrou um aquecimento econômico de 10%. Entretanto, o indicador de longo prazo (acumulado de 12 meses) apresentou uma evolução de 5,5%, com crescimento significativo nos serviços (20,5%), mas retração no comércio (-1,6%) e na indústria (-0,5%).

De acordo com Cardoso, a catástrofe climática trouxe diversos desafios para a atividade econômica, incluindo bloqueios logísticos, atrasos no fornecimento, redução na demanda e indisponibilidade de sistemas. Esses fatores contribuíram para a queda nos indicadores econômicos em maio e geram incertezas em relação ao desempenho do mês seguinte. “Junho também vai ser um mês de sobressaltos”.

Para o presidente da CIC Caxias, Celestino Oscar Loro, o que mais preocupa nesta fase de reconstrução do Rio Grande do Sul é a falta de efetividade nas medidas do governo federal de socorro à infraestrutura, aos municípios e às empresas para restabelecer a economia gaúcha. “Estão mais preocupados com o CEP de quem vai tomar o dinheiro do que efetivamente com os efeitos que os recursos vão gerar na recuperação do estado”, reiterou Loro.

Desempenho setorial da economia de Caxias do Sul

A indústria caiu 7,6% em maio de 2024 em relação a abril. As vendas e compras industriais foram as mais afetadas, com quedas de 17,1% e 14,1%, respectivamente. Comparando maio de 2024 com maio de 2023, houve um crescimento de 4,1%. No acumulado do ano, o crescimento foi de 8,2%, com aumentos na massa salarial (27,4%), nas horas trabalhadas (18,8%) e nas vendas industriais (11,8%). No acumulado de 12 meses, houve uma desaceleração de 0,5%.

O comércio registrou uma queda de 5,5% em maio de 2024 em relação a abril. Comparando com maio de 2023, houve um crescimento de 3%. No acumulado do ano, o crescimento foi de 1,4%, mas no acumulado de 12 meses, houve uma queda de 1,6%.

Os serviços apresentaram uma queda de 7,3% em maio de 2024 em relação a abril, mas um crescimento de 8,9% em comparação com maio de 2023. No acumulado do ano, o setor de serviços cresceu 18,4%, e no acumulado de 12 meses, 20,5%.

Mercado de trabalho

Em maio de 2024, o mercado de trabalho formal em Caxias do Sul apresentou um saldo negativo de 98 empregos, com 7.602 admissões e 7.700 desligamentos, resultando em um estoque total de 169.207 empregos. O setor de comércio foi o único a registrar saldo positivo, com 212 novas vagas, enquanto agropecuária, indústria e serviços apresentaram saldos negativos.

Mercado externo

As atividades ligadas ao comércio internacional também foram impactadas. Em maio de 2024, o saldo da balança comercial aumentou 1,8% em relação a abril de 2023, mas caiu 61,7% em comparação com o mesmo período do ano anterior e 32,2% no acumulado de 12 meses.

Também participaram da apresentação do desempenho econômico a diretora de Planejamento, Economia e Estatística da CIC Caxias Maria Carolina Gullo, o diretor-executivo da entidade, Gelson Dalberto, e diretores da CDL Caxias.

Texto: Marta Guerra Sfreddo

About Author

Avatar photo

Formada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo - pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), especializada em Comunicação Organizacional pela Universidade de Caxias do Sul e licenciada em Letras pela UCS.

Leave A Reply