Growth Digital nasce com o propósito de democratizar o marketing on-line

Pinterest LinkedIn Tumblr +

Quando se pensa em Marketing Digital, evocam-se grandes empresas ou marcas que ganham projeção de vendas na internet. Mas esse cenário tende a mudar. Com o intuito de provar que Marketing Digital deixou de ser privilégio de potentes companhias, nasce em Caxias do Sul (RS) a Growth Digital, pertencente ao grupo Growth Buy.

A chegada da startup decorre de uma percepção de lacuna de mercado: faltam agências de marketing na Serra que atendam a empresas menores, com um custo que caiba no orçamento e com acompanhamento e gestão profissional para auxiliar em resultados de venda.

“Queremos democratizar o acesso ao Marketing Digital. Criamos a melhor estratégia dentro da verba do cliente”, argumenta Eduardo Pezzi, CEO da Growth Buy, consultor, professor e palestrante mestre em Marketing, com 20 anos de experiência no segmento.

Ele se uniu a dois sócios, o gestor comercial Juliano Uecker e o cientista de dados Diego Ribeiro, para tirar do papel a Growth Digital e aproximar-se especialmente de micro e pequenas empresas, que representam 80% do mercado, mas que, na maioria das vezes, estão desassistidas de plataformas tecnológicas que ajudem a ampliar o alcance na internet, no e-commerce e nas redes sociais, revertendo em negócios e na fidelização de clientes.

A intenção é potencializar a eficiência das estratégias de marketing no que tange ao relacionamento e engajamento com vistas a edificar vantagem competitiva, fidelidade e lucratividade aos clientes.

Número de clientes da Growth já triplicou

A startup Growth Digital primeiramente traça um diagnóstico empresarial do cliente, estabelece um plano de comunicação digital, configura redes sociais, sites e e-commerces, com um modelo de negócio on-line de consultoria mais leve, flexível e com custo acessível.

Outro diferencial é que a rota de táticas e comunicação digital é testada e corrigida sempre que o alcance de vendas ou de projeção da marca não se efetivar. Uma vez que cada projeto é acompanhado pela gerência de contas da Growth, todo o mês são demonstrados os resultados, por meio de relatórios de desempenho e ajustadas as estratégias juntamente com a empresa.

A Growth Digital está sendo lançada oficialmente agora no mercado, mas teve um período anterior de testes de seis meses, quando o número de clientes mais do que triplicou, atraídos pelo modelo ágil, rápido e moderno, em que a companhia não precisa ter um setor de marketing e nem prestadores para cada tipo de demanda digital. Os setores atendidos são diversificados,  abrangendo indústria, serviços, varejo e educação.

“Somos uma startup de Marketing Digital, só que já nascemos com mais de 20 anos de experiência e atendimento a mais de 500 clientes Brasil afora. Criamos um modelo simples que entrega o que é necessário para micro e pequenas empresas. Aplicamos as melhores práticas de comunicação e marketing para que as empresas possam ter uma presença digital e, assim, crescer e prosperar”, salienta Juliano Uecker, CMO (diretor-executivo de Marketing) da Growth Buy, mestre em Inteligência de Mercado e Cultura da Informação e gestor comercial com mais de 15 anos de vivência em Marketing Estratégico.

“Ter presença digital não precisa ser caro, complicado e cheio de termos difíceis. Queremos que qualquer empresa ou pessoa que tenha um produto ou serviço possa se relacionar e vender usando tudo o que o universo digital tem a oferecer de forma descomplicada e simples”, complementa Diego Ribeiro, CTO (diretor-executivo de Tecnologia) da Growth Buy e cientista de dados.

Fidelização dos clientes e recompra na mira

Outro objetivo da Growth é aumentar a fidelidade, recompra e recomendação dos clientes, a partir de uma análise com algoritmo próprio, com estratégias individualizadas e assertivas.

“As empresas perdem dinheiro gastando para atrair clientes e esquecem de reter aqueles que já estão na sua base, ou seja, os que já compraram. Estudos demonstram que 50% dos clientes que compram uma vez da empresa não voltam mais. A companhia faz um esforço gigante para atrair esse público, mas peca por falta de um relacionamento para entender o perfil de compra, dados da aquisição, estratégias e ferramentas de relacionamento preciso”, declara Eduardo Pezzi.

O sistema da startup permite ainda fazer uma previsão com base em técnicas avançadas de estatística e marketing que indica a data provável da próxima compra do cliente, prevendo o caixa e a necessidade de insumos. Hoje os índices de acerto da predição de vendas superam os 40%.

Ou seja, com tecnologia e algoritmos de inteligência exclusivos para entrega de informações relevantes, as estratégias comerciais e de marketing serão mais precisas e gerenciadas com indicadores de performance visuais e objetivos. Isso garante uma tomada de decisão eficiente e acurada, aumentando a fidelidade, recompra, conversão e tíquete médio das compras dos clientes.

Hoje, a Growth consegue resolver um grande desafio da área comercial, que é o tripé composto pelas questões: como gerenciar o que vender, para quem vender e quando vender.

“Imagina você gerir uma base de quatro mil a cinco mil clientes. Como saber qual oferta fazer para qual cliente? Nós conseguimos entregar isso de forma simples, rápida e objetiva”, afirma Juliano.

Principais problemas das empresas

  • Não conseguir fidelizar clientes
  • Perder faturamento
  • Não conhecer o comportamento de compra do seu cliente
  • Gastar muito para conquistar novos compradores
  • Não saber se o dinheiro gasto em propaganda deu retorno

Principais soluções oferecidas pela Growth

  • Obtenção de eficiência absoluta da área comercial
  • Vender mais para clientes inativos
  • Criar ofertas direcionadas aos público-alvo
  • Aumentar o tíquete médio da aquisição
  • Evitar que os clientes parem de comprar
  • Estreitar relacionamento com a carteira de consumidores
  • Saber quando seus clientes comprarão novamente
Divulgação: Calíope Comunicação
Compartilhar.

Sobre o Autor

Formada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo - pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), especializada em Comunicação Organizacional pela Universidade de Caxias do Sul e licenciada em Letras pela UCS.

Deixe uma resposta