fbpx
Sindilojas Caxias lança plataforma Sindi Store para compras on-line
6 de julho de 2020
Estilista Teodoro Salazar prova que solidariedade e moda andam juntas
8 de julho de 2020

Saiba que medidas restaurantes europeus estão adotando para reabertura ao público

Por Marta Guerra Sfreddo

Estamos há mais de 100 dias convivendo com a crise desencadeada pelo avanço da pandemia de coronavírus no Brasil. O que de início se mostrou uma grande preocupação com a saúde pública e com a capacidade do sistema de atender à população sem entrar em colapso, agora é também uma preocupação com os efeitos nefastos sobre a economia.

É verdade que alguns setores foram bem menos atingidos do que outros, seja pela natureza da atividade, algumas consideradas essenciais no momento em que o distanciamento social se tornou imperativo, quer seja pela agilidade de empreendedores em ‘pivotar’ os seus negócios.

Em ambos os casos, a rápida adaptação ao cenário de crise foi e será decisiva para o sucesso ou o fracasso de uma empresa que está tentando se salvar. É fato que a Covid-19 mudou o comportamento do consumidor. Muitos têm um justificável receio de contaminação. Também é fato que as empresas precisarão entender este novo comportamento e encontrar um caminho para a adaptação.

Restaurantes estão reabrindo em diferentes países da Europa, e mudanças na forma de atender ao público colocadas em prática lá podem ajudar as empresas daqui. Os primeiros dias da reabertura de bares e restaurantes na Inglaterra, por exemplo, após quase quatro meses de fechamento, mostraram que a experiência de comer fora já é completamente diferente. Algumas medidas não são novidade e fazem parte dos protocolos já conhecidos pela maioria. Mas algumas por si só já demonstram que vivemos outros tempos.

Veja o que está sendo adotado de novidade por lá

  • Obrigatoriedade de passar álcool em gel nas mãos de todos que entram no estabelecimento
  • Restrição no número de pessoas dentro do estabelecimento
  • Poucas mesas e bastante espaço entre elas
  • Na entrada, ao menos uma pessoa precisa registrar nome e e-mail para qualquer necessidade de contato
  • Fim dos cardápios nas mesas. Cada mesa possui um QR Code Reader em que o cliente usa seu celular para consultar o cardápio, além de quadros nas paredes com os pratos do dia
  • Fim dos saleiros, condimentos e guardanapos, objetos que necessitam esterilização a cada cliente, nas mesas. Quem desejar, precisa solicitar ao garçom
  • O garçom faz o atendimento a uma distância mínima de um metro dos clientes. Para trazer os pedidos, usam uma mesa dobrável que é montada ao lado da mesa principal. Toda a comida é servida nessa mesa auxiliar
  • Os pagamentos são feitos somente por meios eletrônicos e as máquinas são higienizadas a cada uso. A tendência é, em breve, serem aceitos somente pagamentos virtuais, sem o uso das maquininhas de cartão.

Essas e outras adequações serão muito importantes a partir de agora. Até porque especialistas em Epidemiologia já sinalizam que outras pandemias estão por vir, sejam novas ondas de coronavírus ou outras doenças de igual porte letal. A expressão ‘novo normal’, embora criticada pelo seu uso excessivo, é o que melhor traduz este momento.

Marta Sfreddo
Marta Sfreddo
Formada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo - pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), especializada em Comunicação Organizacional pela Universidade de Caxias do Sul e licenciada em Letras pela UCS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *